Angangueo

Angangueo, uma cidade mágica com um passado mineiro, aninhada no coração da zona leste, onde todos os anos, de novembro a março, ocorrem milhões de borboletas-monarca. Além de sua natureza radiante e arborizada, seu monumento ao mineiro, a Capela da Misericórdia e o templo da Imaculada Conceição transportam o visitante para outra época.

Aninhado em uma ravina, Angangueo serpenteia entre colinas arborizadas. É precisamente aqui, nas montanhas que a rodeiam, onde milhões de borboletas-monarca se reúnem todo inverno. Angangueo se torna entre novembro e março o epicentro do extraordinário espetáculo natural da migração do monarca, que vale a pena uma visita aos santuários de Sierra Chincua e El Rosario.

Esta cidade mágica parece magnífica por cima e vários pontos de vista, como a Capela da Misericórdia, oferecem vistas espetaculares desta pitoresca cidade. Do alto, você pode ver o terreno acidentado da cidade que segue a montanha, com suas ruas estreitas e suas mansões solenes de adobe com grandes pátios. Uma cidade que era mineira, uma cidade de riqueza e tragédia, cujo povo construía casas com fachadas e flores coloridas nas varandas. Lugar calmo, amigável e acolhedor para o visitante.

O templo da Imaculada Conceição e a paróquia de San Simón Celador competem pelo papel principal. O primeiro, o templo da vila. O segundo, o templo erigido pela família mais rica, foi a riqueza que essas minas geraram. No meio, um delicioso desfile com um quiosque cercado por portais. O passado mineiro de Angangueo também nos conta sobre a Escola Secundária Angangueo Mineiros, com um extraordinário mural de Arturo Estrada, discípulo de Frida Kahlo. Nos fundos da Paróquia, outro mural - desta vez ao ar livre - de Jorge Téllez conta a história desta pequena cidade que não perdeu sua magia ao longo dos anos.

galeria